Itaipu no turismo de Foz do Iguaçu

Itaipu no turismo de Foz do Iguaçu

Foz do Iguaçu e região no pós-pandemia da covid-19

O tema foi debatido em uma live que reuniu integrantes do Visit Iguassu, Sebrae, Prefeitura e turismo da usina

Itaipu no turismo de Foz do Iguaçu será fundamental na retomada da visitação do destino.

A usina de Itaipu, na fronteira do Brasil com o Paraguai, vai empreender todos os esforços necessários para a retomada gradual do turismo de Foz do Iguaçu e região no pós-pandemia da covid-19.
A data de reabertura das visitas aos atrativos da hidrelétrica ainda não foi definida.

Em nome da Assessoria de Turismo de Itaipu, pasta comandada pela jornalista Patrícia Iunovich, a turismóloga e advogada Aline Teigão disse que aguarda as diretrizes do governo federal, em consonância com os protocolos sanitários adotados pelo município, para avaliar o melhor momento para a retomada do turismo. “É necessário prudência e, ao mesmo tempo, planejamento estratégico”, afirmou.

Ela acrescenta que a gestão integrada do turismo vai ser primordial para que os bons resultados sejam alcançados. “Todos juntos no mesmo objetivo: vender bem o turismo de Foz do Iguaçu”, ressaltou.

O bate-papo reuniu o Presidente do Visit Iguassu, Felipe Gonzalez; o presidente do Conselho deliberativo do Visit Iguassu, Guilherme Paulus; Gilmar Piolla, secretário de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos de Foz; e o diretor de relacionamento do Visit Iguassu, Eduy Azevedo.

O encontro inaugurou a Iguassu Connect, uma série de lives que tem o objetivo de debater o universo do turismo.

O tema abordado na primeira edição foi Cenário Destino Iguaçu – Retomada do Turismo.

Durante a live, Aline disse que, no pós-pandemia, o turista estará muito mais exigente e Foz do Iguaçu precisa estar preparada. Segundo ela, a cidade tem recebido atenção especial da gestão do diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, e dos parceiros estratégicos – os governos federal, estadual e municipal. Desta forma, tem sido dotada de infraestrutura adequada para receber esse novo perfil de viajante: roteiros ampliados, aeroporto em condições de receber grandes aeronaves, melhoria da mobilidade urbana e uma segunda ponte.

“Torcemos para que tudo se normalize o mais rápido possível. Itaipu tem mais de um olhar – olha internamente para o nosso atrativo (Complexo Turístico Itaipu), se preparando para o retorno às atividades, para a adoção de protocolos mais rígidos, com cuidado com os colaboradores, atenção ao visitante e foco na experiência positiva com o destino”, enfatizou.

Aline também reforçou a vantagem de Foz em relação a outros destinos para a retomada da atividade. “Temos uma Itaipu que apoia, financia e ajuda a cidade a se reinventar.

O general Joaquim Silva e Luna, diretor-geral de Itaipu, tem falado isso sempre. Num momento como este, em que o mundo parou, contar com um apoio deste porte significa que nós já largamos na frente.”

A Itaipu

Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, 2,7 bilhões de MWh.

Em 2016, a usina brasileira e paraguaia retomou o recorde mundial anual de geração de energia, com a marca de 103.098.366 MWh. A hidrelétrica é responsável pelo abastecimento de aproximadamente 15% de toda a energia consumida pelo Brasil e de 90% do Paraguai.