Camisetas e máscaras contra vírus

Insider inova com roupas antibacterianas e antivirais

Camisetas e máscaras contra vírus, peças inovadoras e funcionais. Unir moda a tecidos tecnológicos, é a proposta da Insider – uma startup que desenvolve roupas funcionais, confortáveis e duráveis. Com o foco na produção sustentável, Carolina Matsuse e Yuri Gricheno – fundadores da startup, criaram a loja online Insider em 2016. Após uma análise do mercado, lançaram o primeiro produto: uma camiseta para ser usada embaixo da camisa social, feita com tecnologia anti-suor e anti-odor. O tecido absorve e evapora o suor antes que ele chegue à camisa de cima, evitando manchas e mau cheiro, e preservando a roupa.

O lançamento foi um sucesso, o que levou a startup investir na criação de outras peças inovadoras como a Tech T-shirt, que utiliza a mesma tecnologia antibacteriana, evitando suor e mau cheiro, e a cueca Performance, feita para a prática esportiva, com ajuste perfeito no corpo e tecido de secagem rápida. Com o desafio da pandemia de Coronavirus, a Insider buscou uma solução para que as roupas pudessem reduzir a chance de contágio.

Foram dois meses para desenvolvimento, homologação e certificação das peças. Elas começaram a ser vendidas na segunda quinzena de maio, usando a mesma tecnologia das roupas antibacterianas, os íons de prata, agora adaptados para agirem também como antivirais. As roupas seguem a norma ISO 18184, que regulam produtos têxteis antivirais.

Nas camisetas e máscaras contra vírus, a aplicação dos íons de prata foi mais intensa e foram necessários mais laudos laboratoriais. As peças passaram nos testes realizados pela Unicamp, que mostraram uma eficácia de 99,9% na desativação de vírus na superfície do tecido em até 5 minutos, entre eles o Coronavirus e o H1N1. Além de evitar a contaminação direta, elas têm uma durabilidade maior. A máscara, por exemplo, pode ser usada o dia todo, enquanto a padrão de pano deve ser trocada a cada 4 horas. Além disso, as máscaras ganharam força no mercado pela ação antiacne, que se tornou reclamação constante daqueles que usavam máscaras de tecidos normais.

A Insider atingiu no fim de 2020 a marca de 1 milhão de itens vendidos, com lançamento da linha feminina em dezembro, desse 1M de itens, os femininos representam menos de 5%. A expectativa para 2021 é de que pelo menos 50% dos itens vendidos este ano sejam femininos, batendo a marca de 2 milhões de itens vendidos até o fim do ano. Com do foco de vendas na linha de produtos antivirais, alcançaram um faturamento quatro vezes maior que o de 2019, chegando a R$ 30 mi. Se o salto já foi grande, a startup agora quer mais.

Para 2021, a meta é dobrar esse valor e alcançar os R$ 60 mi.“Nosso objetivo nunca foi virar uma marca de máscaras, mas sim fornecer produtos com mais funcionalidade para nosso consumidor durante a crise”, afirma Yuri Gricheno, um dos sócios da Insider. Mesmo com essa previsão de crescimento, a empresa pretende continuar seguindo os princípios que basearam sua criação: criar peças essenciais, com tecnologia, durabilidade e respeito à natureza. A compra das máscaras pode ser feita pela loja da Insider, apenas e-commerce: https://www.insiderstore.com.br/antivirais